top of page
  • Foto do escritorPascom

Encontro Diocesano da Divina Misericórdia



Acontecerá no dia 16 de abril/2023 das 8 às 16h, o Encontro Diocesano da Divina Misericórdia com o tema: Todos chamados a viver a Misericórdia e a Fraternidade “Dai-lhes vós mesmos de comer” Mt 14,16. O Encontro será realizado na Paróquia Santa Rita de Cássia, situada à Av. Ásia, 02 - Dinah Borges - Eunápolis-BA. As incrições deverão serem feitas em cada Paróquia ou através do link: https://forms.gle/2UPUcehtkLfGnNvw7.


A Festa litúrgica da Misericórdia ocupa um lugar privilegiado entre todas as formas de devoção à Divina Misericórdia reveladas à Santa Faustina. Já na primeira ocasião em que Jesus lhe falou sobre a Divina Misericórdia, em 22 de fevereiro de 1931, Ele pediu à Santa Faustina: “Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia. Quero que essa Imagem, que pintarás com o pincel, seja abençoada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia. Desejo que os sacerdotes anunciem esta Minha grande misericórdia para com as almas pecadoras (Diário de Santa Faustina, 49-50).

Na oitava da Páscoa de 1933, Jesus fez mais um pedido à Santa Faustina: “Na minha Festa ‒ na Festa da Misericórdia ‒ percorrerás o mundo inteiro e trarás as almas que desfalecem para fonte da Minha misericórdia. Eu as curarei e fortalecerei” (Diário, 206). No ano seguinte (1934), Jesus fez uma promessa: “Aquele que, nesse dia, se aproximar da Fonte da Vida, alcançará perdão total das culpas e das penas” (Diário, 300).

Durante muito tempo, Santa Faustina rezou e ofereceu os seus sofrimentos e mortificações na intenção do Papa, para que a Festa da Misericórdia fosse instituída em toda a Igreja (cf. Diário, 341 e 368). Enquanto isso não acontecia, ano após ano, no primeiro domingo após a Páscoa, Faustina celebrava essa Festa interiormente, em seu coração, conforme o desejo do Senhor. Em uma dessas ocasiões, no ano de 1935, logo após a santa Missa, a Santa participava de uma adoração ao Santíssimo Sacramento, quando, em uma visão, Jesus lhe disse: “Essa Festa saiu do mais íntimo da Minha Misericórdia e está aprovada nas profundezas da Minha compaixão. Toda alma que crê e confia na Minha Misericórdia irá alcançá-la” (Diário, 420).

No ano seguinte (1936), Jesus esclareceu: “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia, estarão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximarem da fonte da Minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas Divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. (…) A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha Misericórdia (Diário, 699).


PASCOM - Pastoral da Comunicação

117 visualizações0 comentário

Enviar Mensagem

Obrigada pela messagem.
bottom of page